• zuzfisiopilates

Síndrome de Down e a Atividade física


As crianças com Síndrome de Down precisam de atenção diferenciada e devem ser constantemente estimuladas, tanto física quanto mentalmente. Por esse motivo, perceber que o desenvolvimento físico é tão importante quanto o desenvolvimento mental facilita, desde o início, para o progresso de habilidades como coordenação motora, equilíbrio e agilidade.


As pessoas com Down normalmente têm tônus muscular enfraquecido. Por esse motivo, as crianças têm uma tendência maior a se tornarem menos ativas, podem desenvolver compulsões alimentares, além de uma parte delas, ainda, já lidar com algum problema cardíaco.


Para prevenir parte dessas situações, é fundamental estimular seu filho a praticar atividades físicas.


O programa da Educação Física Especial para portadores da Síndrome de Down propõe uma relação direta entre atividades motoras e sociais, oportunizando vivências novas em ambientes distintos, utilizando jogos e brincadeiras como intermediários para o entendimento das regras sociais e culturais, permitindo vivenciar o que é ou não aceito no convívio social.



O brincar e a brincadeira exploram o seu próprio corpo e seu ambiente desenvolvendo uma liberdade de criar situações e de realizar outro movimento que não é o esperado, e o papel da atividade física, é criar situações em atividade funcionais, que estimulem a criança com a síndrome de Down de uma forma global.


Sabemos que a atividade física é de suma importância para a manutenção da qualidade de vida, da saúde e na prevenção de doenças. A atividade física para pessoas com Síndrome de Down deve ser adequada às suas características e principalmente às suas necessidades.


A força muscular com portadores de Down melhoram à medida que a criança fica mais velha. Para acelerar este processo de ganho de força e aumento do tônus, a maneira mais indicada é a pratica de atividades físicas com programas de exercícios resistidos que recrutem diferentes tipos de fibras musculares. Estas atividades podem fortalecer a musculatura desde que sejam adaptadas de acordo com as limitações de cada indivíduo.


As atividades que trabalham força muscular vão colaborar para um desenvolvimento mais rápido do que o normal do portador da Síndrome de Down, trazendo para ele facilidade em determinada tarefas do dia a dia, que necessitam de esforços.



Leia também!
Síndrome de Down - uma mensagem para as mães
Da exclusão à inclusão: onde estamos e por onde queremos ir?
TDAH e atividade física: como melhorar os sintomas de déficit de atenção e hiperatividade com exercício
Pilates para crianças
Musculação é Coisa de Criança?

12 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo